quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

NATAL NA EMBAIXADA DE PORTUGAL EM BANGUECOQUE

A escassos dias do Natal e ocasião em que os laços de família  e amizade se estreitam Embaixador Francisco Vaz Patto, seu companheiro de vida, Dr. Kevin Colleary tiveram o prazer, ontem 14 de Dezembro, pelas 17,30, de receber no Salão Nobre da residência, oficial dos embaixadores de Portugal acreditados no Reino da Tailândia, cerca de 50 convidados, entre os quais, portugueses e amigos de suas suas relações de diferentes nacionalidades. Festa simples, mas cheia de calor humano, onde não faltou comida, genuinamente portuguesa: primorosas e apetitosas entradas, arroz de bacalhau, creme. figos e tâmaras recheadas com com frutos secos, tinto e branco, português, de boa vinha. As imagens a seguir dão conta da recepção.

A entrada para a Residência apresentava-se com aspecto natalício
A sala de entrada e espaço de assinatura dos convidados onde se encontra, exposta, uma bela peça secular,porta de madeira de Teca, onde fora entalhados as figuras de dois soldados portugueses, seiscentistas, da era de Ayuthaya e pouco depois de chegarem ao Reino do Sião (1511). Lembra-se que os portugueses foram os primeiros homens, do ocidente a conhecer o Reino de Ayuthaya (mais tarde Reino do Sião e presentemente Tailândia) relações de amizade que duram há 506 anos
Logo após a entrada dos convidados houveram as fotos de portugueses, para lembrança do futura, com Embaixador Vaz Patto, sempre com a sua palavra simpática, característica de anfitrião e amiga para com todos. Na imagem: a estudante e professora Beatriz Canas Mendes de duas universidades, tailandesa, Anork Mágico, Embaixador Vaz Patto e a Esperança Rodrigues, casada com um empresário tailandês e 38 anos residente na Tailândia.
Ao centro o sorriso cativante da secretário, do embaixador Vaz Patto, Lanlalit Samanuhat, com dois convidados
Da esquerda para a direita: esposa de Luis Azevedo comandante de aviões comerciais. Pedro Abreu delegado do AICEP sediado ma embaixada de Portugal em Banguecoque.
Dr. Kevin Colleary com dois convidados....
O vinho oferece imagens bonitas e alegria
Um vinho tinto de estalo e "pomada" de boa cepa!
Surpresa! A pequenina menina: "Merry Christmas Mr. Ambassador"
Uma palavra amiga e de Natal, para todos, do Embaixador Vaz Patto....
Cavaco lusitano entre Beatriz Canas Mendes e Esperança Rodrigues
Uma senhora convidada e o selfie com o Dr. Kevin Colleary
Entre dois copos uma imagem com Embaixador Vaz Patto e um convidado estrangeiro....
Três senhoras, numa bela imagem de fraternidade natalícia.
Dois portugueses: o copo na mão e os pratos de arroz de bacalhau confeccionado à moda portuguesa.....Português da esquerda, usa o pseudónimo "Anork Mágico", escolheu a Tailândia, depois de se reformar para viver. Alma Lusa, de alegria constante, a juntar à comunidade.
Os copos de vinho e os pratos, nas mãos, para atacar no arroz de bacalhau confeccionado pela cozinheira, chefe, Margarida Amaro da Embaixada de Portugal.
Embaixador Vaz Patto, em curto improviso deseja a todos os convidados um Natal Feliz e imensos sucessos para o Novo Ano que se aproxima.
Embaixador Vaz Patto com Dr. Kevin Colleary levantam o copo e brindam com todos ali presentes...
Bebendo, comendo entre dois dedos de conversa...
Dois jovens em conversa, ela a querida e o benjamim da comunidade portuguesa, residente em Banguecoque, Beatriz Canas Mendes. Ele (me desculpe por mão escrever seu nome) funcionário da Embaixada de Portugal em Banguecoque.
O casal, confortalmente sentados, conversam e saboreando o creme e os conhos da Margarida Amaro...
Atacando nos sonhos e no creme que além do paladar excepcional o torrada da superfície oferecia um tom especial e o cheio a delicioso.De parabéns a Margarida Amaro e venha lá próxima receita na recepão a seguir!
E assim foi seguindo a festa onde não faltou a simpatia e os sentimentos natalícios...
Levantam-se bem alto os copos em honra do vinho português que alegra o coração e amorna os cérebros!
A Esperança Rodrigues entre Pedro Costa e o velho funcionário da embaixada Narong.
O selfie da Esperança Rodrigues com Embaixador Vaz Patto...
Foto de família (Parte dos convidados já tinham partido), a lembrar a Festa do Natal da Embaixada de Portugal em Banguecoque no ano 2017
Imagens e texto de José Martins

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

"O BLOGUE AQUITAILÂNDIA FOI FUNDADO HÁ 11 ANOS"

O blogo Aquitailandia foi criado há 11 anos e nele inserimos 22.081 peças, cujo estas, entre tantas, foi o alertar as consciências do que segue mal. Não vencemos (sem nos considerarmos vencido da vida) nem indereitamos o mundo torto.  Segue a primeira peça que inseri em Dezembro de 2006. A todos que têm tido a paciência de ler o que escrevo as nossas saudações, bom Nata e feliz 2018.
José Martins
 .
Primeiro artigo do Aquitailandia

BANGUECOQUE:NOVO AEROPORTO

No próximo ano, 2007, faz precisamente trinta anos que aterrei, no aeroporto de "Don Muang" em Banguecoque, a bordo de uma aeronave DC8 Super,ronceiro, de quatro turbinas a jacto cuja partida tinha sido na capital do petróleo Dhahran, na Arábia Saudita. 
,
Já na proximidade da aeronave aterrar, de uma janela, observo o solo e vislumbro um mundo verde, alagadiço e que se estendia em direcção dos quatro pontos cardeais. As instalações da gare do aeroporto eram exíguas e, também, exíguos os visitantes à Tailândia. Não existiam mangas de saída e entradas directas aos aviões. 
.
Naquela manhã de Agosto e a minha primeira vez, em solo tailandês, o ar estava pesado, húmido e abafado.Um táxi transportou-me de Don Muang para o centro de Banguecoque, distante uns 30 quilómetros, numa via de dois sentidos que alcançou em cerca de uma hora. Para lá das margens da estrada gente ocupavam-se na azáfama da cultura dos arrozais enterrada em água até aos joelhos. 
.
Tudo que se iam passando à minha volta era algo de estranho. Acontecia o meu primeiro contacto com o Oriente de que dele pouco conhecia. Sabia sim que o Vasco da Gama tinha chegado à Índia, que havia Goa, Damão e Diu e Macau. 
.
Da Tailândia, quase nada, apenas um amigo meu, havia uma meia dúzia de anos, que conheci em Quelimane, tinha vindo à Tailândia, por conta de sua empresa, a Monteiro e Giro prestar assistência, durante a viagem de Banguecoque a Quelimane de uma manda de búfalos de água para lavrarem as terras da baixa do Zambeze, muito semelhantes às alagadiças da Tailândia. 
.
A cidade de Banguecoque, enorme na sua extensão, mas os prédios não iam além de meia dúzia de andares.Táxis, automóveis de de fabrico japonês e a cair, aos bocados, a chapa devido ao ar ensalitrado que pairava no ar. Pela baixa de Banguecoque havia canais onde a água circulava limpa e vi pescar camarões e outros mariscos à rede. 
.
Em Dhahran tinham-me indicado o "Honey Hotel" e nele me hospedei por duas semanas pelo preço de 180 bates (moeda tailandesa) que cambiados, hoje, em euros dariam uns quatro. Banguecoque era uma cidade, como outra, da Ásia, onde o desenvolvimento tinha estagnado no tempo. Porém não me passou despercebido o custo da vida que era uma ridicularia. 
.
Encontrei os tailandeses umas pessoas simpáticas sempre com um sorriso nos lábios. Cativou-me essa hospitalidade e esses sorrisos que na Europa começavam a rarear.
.
O tema de hoje é para dar a conhecer que depois de ter chegado, pela primeira vez, há quase trinta anos, à Tailândia da velha e pequena gare do aeroporto, de Don Muang, pouco depois dá-se início à construção do alargamento da velha gare; é inaugurada em 1988. Não tardou que fosse pequena para fazer face às necessidades da chegada e partida dos passageiros. 
.
A Europa, Estados Unidos e o Japão começavam a descobrir a Ásia e há a necessidade de alargar as estruturas não só nos aeroportos com a construção de novos hoteis. O segunda gare é pequena e é necessário construir mais uma extensão. 
.
Mais uma vez volta pequena e há 10 anos é apresentado o projecto para a construção de um "mega" aeroporto.Um dos maiores aeroportos do mundo acaba de ser inaugurado nos arredores de Banguecoque com o nome: "SUVARNABHUMI", em honra e homenagem ao Rei da Tailândia Sua Majestade o Bhumibol Adulyadej.
.
Foi bom, com os meus próprios olhos, ver crescer Banguecoque e um país, a Tailândia, a "Terra dos Sorrisos" e de gente boa.
José Martins

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

TAILÂNDIA: "MODA DE PORTUGAL, NA PASSARELA, EM BANGUECOQUE"



Pelo estilista português Luis Carvalho a sua colecção foi apresentada a pessoas de bom gosto na arte de bem vestir no World Trade Centre e classificado entre os 10 maiores shopping centres do Mundo na área central da capital tailandesa. Até aos dias de hoje, pela primeira vez, a moda portuguesa chegou ao "Pais dos Sorrisos" e auguramos, que no futuro, poderá a ter largo sucesso na Tailândia. Banguecoque, a cidade que não estagna de crescer, recebe anualmente milhões de turistas estrangeiros. A embaixada de Portugal em Banguecoque patrocinou o evento.

Seguem, imagens dos modelos, que apresentaram a colecção do estilista Luis Carvalho
Fotos de texto de José Martins